Os produtos plásticos são de extrema importância para um bom desempenho da economia circular e para a busca de melhores resultados ambientais. Sendo assim, é importante conhecer algumas tendências para o próximo ano considerando os novos desafios e oportunidades que devem ser encontrados.

Para se desenvolver estes produtos plásticos, existem vários fatores que influenciam no processo de desenvolvimento do produto. Alguns acreditam que as definições são baseadas exclusivamente na aparência, mas a criação também está vinculada aos requisitos de desempenho específicos do produto. 

No entanto, nos últimos anos, muitas decisões estão sendo tomadas baseadas na composição dos materiais e no impacto final que esses produtos causarão no meio ambiente. Isso é especialmente importante para os produtos plásticos. É por isso que as principais marcas e fabricantes estão procurando, através da pesquisa e do desenvolvimento de inovações, criar produtos que auxiliem na questão do desperdício e descarte correto. 

Além disso, essas ações estão sendo realizadas ao lado de campanhas que incentivam a reutilização. Aqui estão 3 considerações importantes para a criação de produtos de plástico em 2022:

1. Ciclo de vida do produto e seu impacto ambiental

As mudanças climáticas preocupam a comunidade científica há décadas e, à medida que seus reais efeitos se intensificam e tornam-se mais frequentes, os hábitos dos consumidores estão evoluindo. Hoje, existe uma tendência forte na redução de resíduos e na neutralização das pegadas de carbono. Isso levanta a questão da durabilidade do produto e do impacto ambiental que um produto pode ter ao longo de sua vida.

Considerando os esforços de regulamentação dos governos para reduzir as emissões de carbono, fatores como a quantidade de energia usada na fabricação, o uso, o descarte correto e a reciclagem do produto estão sendo considerados pelos consumidores ao fazer compras. Inclusive, pode ser um fator decisivo na hora de optar por uma marca.

Vantagens dos produtos plásticos

Embora a resposta possa ser um tanto complexa, os plásticos são geralmente mais leves e mais duráveis ​​do que os materiais alternativos, o que, por sua vez, reduz o peso geral do produto. Ou seja, isso significa que serão necessários níveis mais baixos de uso de energia e o resultado serão menos emissões de carbono.

O uso de plásticos no transporte, por exemplo, cria meios de transporte mais leves, mais seguros e mais eficientes em termos de combustível. De recursos de segurança como cintos de segurança e airbags a elementos estruturais, os plásticos são amplamente usados ​​em carros, trens e aviões que vemos e usamos hoje.

Além disso, produtos de plástico podem até ser considerados uma opção melhor quando se trata de itens menores. Um estudo publicado no The International Journal of Life Cycle Assessment identificou que potes de vidro de comida para bebês produzem 25% mais gases do efeito estufa do que as embalagens do mesmo tamanho feitas com plástico. Portanto, mudar para materiais alternativos para melhorar as iniciativas de reciclagem pode prejudicar os esforços para reduzir a pegada de carbono.

Por isso, ao invés de se preocupar somente com o impacto ambiental no final do ciclo de um produto, os fabricantes que querem combater as mudanças climáticas devem considerar todo o ciclo de vida de um produto plástico. Então, é possível compará-lo com alternativas materiais para decidir de forma técnica e economicamente acertada.

2. Resistência e durabilidade necessárias

Quando se trata de desenvolver um novo produto de plástico, pensar em como seus clientes farão uso dele ajuda a entender melhor como ele deve ser resistente e fácil de cuidar. Quer seja uma peça de vestuário ou um utensílio de cozinha, cada produto tem vantagens e desvantagens exclusivas de acordo com sua função e preferências do comprador.

Por exemplo, os novos pais que procuram tigelas à prova de crianças precisarão de algo resistente para uso regular, limpeza e quedas ocasionais. E, a menos que faça parte do design do produto, durabilidade e longevidade são fatores comuns na maioria das decisões de compra. É aqui que o plástico como material pode se destacar em suas respectivas aplicações.

Existem 50 tipos principais de plástico e, geralmente, todos são resistentes e duráveis, e tem capacidade de resistir a danos. Os termoplásticos são os plásticos mais comumente usados ​​e incluem o acrílico, o náilon e o poliéster. Esses materiais podem ser facilmente reaquecidos e moldados em forma, os termoplásticos podem ser usados ​​em uma variedade de técnicas de fabricação, o que explica seu amplo uso e popularidade.

Quanto mais forte e durável for um produto, menor será a probabilidade de ele quebrar e acabar como lixo.

3. Recursos antimicrobianos integrados

Uma maneira segura de lidar com a poluição por produtos plásticos é encorajar os consumidores a reutilizar continuamente o que compram por mais tempo. Este é um desafio particular para itens como embalagens de alimentos, que são um ponto importante para o crescimento bacteriano, manchas e degradação.

Também é crucial para produtos de plástico de grande rotatividade, como telefones de escritório, carrinhos médicos e até bandejas de segurança em aeroportos. Por isso, grandes empresas de bens de consumo agora estão incentivando o desperdício zero, oferecendo opções de embalagens recarregáveis, por exemplo, para detergente e xampu. Embora este seja um passo na direção certa, esses recipientes são raramente higienizados, e isso permite o crescimento de bactérias.

A tecnologia antimicrobiana integrada previne ativamente o crescimento microbiano em produtos plásticos. As formulações comprovadas podem ser incorporadas aos produtos na fase de fabricação, tornando-se um componente integral do material e proporcionando uma proteção contínua que funciona durante a vida útil esperada do produto.

Ao proteger os materiais de micróbios, a tecnologia antimicrobiana tranquiliza os consumidores sobre a limpeza dos produtos plásticos e ajuda a prevenir a biodegradação para manter a sensação de frescor do produto por mais tempo e evitar o descarte prematuro. Também fortalece a mensagem de sustentabilidade junto ao mercado.

Como funciona a tecnologia antimicrobiana em produtos plásticos?

  1. Elementos antimicrobianos entram na composição da matéria-prima do plástico, se tornando parte da estrutura molecular do material e permanecendo mesmo após lavagem/contato;
  2. O produto tem contato humano e com o ambiente sendo contaminado por bactérias;
  3. A tecnologia rompe o processo vital e as funções biológicas da bactéria, impedindo sua reprodução;
  4. O material tratado se mantém protegido da proliferação bacteriana durante o ciclo de vida do produto, permanecendo limpo entre limpezas ocasionais.

“Lembre-se de que o plástico nem sempre é o inimigo!”

Pontos principais a serem observados:

  • Os potes de vidro de comida para bebês produzem 25% mais gases do efeito estufa do que os potes de plástico.
  • O plástico é até 12 vezes mais resistente do que o aço, tornando os carros mais leves e mais econômicos.
  • As embalagens plásticas ajudam a estender a vida útil dos alimentos e reduzem o desperdício de alimentos – o que significa menos alimentos em aterros e menos produção de gases de efeito estufa.
  • O uso de 1,5g de filme plástico para embrulhar um pepino pode estender sua prateleira de 3 dias para 14 dias.
  • As cédulas de polímero estão ultrapassando o papel-moeda, permitindo recursos de segurança aprimorados e maior durabilidade.
  • Produtos de plástico podem durar muito tempo se forem projetados com os materiais e tecnologias corretos, como proteção antimicrobiana embutida.

Conclusão

Como um dos materiais mais versáteis do mundo, o plástico traz uma infinidade de benefícios para a vida moderna, incluindo avanços médicos, inovações de produtos para mobilidade e uso pessoal, entre outros.

Uma mudança no comportamento do consumidor em relação aos produtos plásticos é necessária para enfrentar os desafios do lixo, minimizar a poluição do plástico e promover uma economia circular. 

Isso, combinado com uma mudança de foco no design e no ciclo de vida do produto, também é necessário. Em síntese, quando a sua empresa for fazer seu próximo projeto de desenvolvimento de produto, certifique-se de seguir três considerações mostradas aqui.